26 setembro 2018

26 setembro 2018

Currículo objetivo faz a diferença!

Não importa se esse é seu primeiro emprego ou se já tem anos de experiência, uma coisa não muda: o papel fundamental de um bom currículo.
No meio de tantos candidatos para aquela vaga dos sonhos, como fazer para se sobressair? Confira aqui algumas dicas que a gente separou pra te ajudar a turbinar seu currículo, das informações até o design.


1. Defina o que você quer falar.
Esse documento deve passar tantas informações que é uma boa ideia separar um tempo para pensar no que vai escrever e dividir cada tema em diferentes “sessões”. Assim, além de deixar tudo mais organizado, a escolha do layout será mais certeira.


2. Praticidade deve ser a prioridade, mas não abra mão da beleza.
Os elementos visuais devem ajudar na leitura e passar a imagem de ordem e elegância. Claro que um currículo bonito chama mais atenção e, se você trabalha com artes ou criatividade, inovar pode ser uma boa ideia. Só não deixe que o documento pareça poluído!


3. Algumas informações que não podem faltar.
Dados como nome, cidade, área de atuação, email e telefone são indispensáveis e devem estar em destaque. Mas esse não é o momento de contar a história da sua vida. O principal para o recrutador é saber como entrar em contato com você caso seu perfil seja coerente com a vaga.


4. Não existe um único modelo de currículo.
Cada pessoa tem diferentes experiências durante a vida e, por isso, os currículos são feitos de acordo com cada situação, de preferência, personalizados para cada vaga. E nessa hora o que conta é o que tem mais a ver com a oportunidade. Experiências profissionais, cursos, diploma universitário, voluntariados, outros idiomas, freelas: desde que você conte porque essa informação é relevante, tudo o que tem relação com a área ou com sua dedicação como profissional, é válido.


5. Aposte em um texto objetivo e sem rodeios.
Além de escrito de acordo com as normas ortográficas, o texto deve ser de fácil entendimento. Parágrafos longos tiram a praticidade e o recrutador pode não entender exatamente o que quer dizer. Por isso, o ideal é falar tudo da maneira mais simples possível, destacando apenas pontos altos.

Leia Mais >>

20 setembro 2018

20 setembro 2018

Está na hora de mudar de estágio?

Conciliar o estágio com os estudos não é nada fácil, né? Mas vale -e muito- a pena encarar o desafio. Ver como o mercado funciona na prática, aprender com profissionais da área e conhecer pessoas que podem te ensinar algo novo é muito importante para o crescimento profissional. Essa é a hora de ouvir o máximo e aprender o que seus colegas têm pra oferecer de conhecimento. Porém, nem tudo são sempre flores. Às vezes a gente sente que o lugar em que estamos não é bem onde deveríamos estar ou que está atrapalhando nosso rendimento acadêmico. Se você está passando por esse dilema e não tem certeza do que fazer, dá uma olhada nessa lista com os sinais de que é hora de mudar e procurar outro estágio.


1. Você não se sente motivado nem desafiado.

É normal que o começo seja cheio de emoção e desafios e que, com o tempo, você vá pegando o jeito da coisa e o trabalho comece a entrar na rotina. Mas se você faz as mesmas coisas há muito tempo, talvez seja a hora de conversar com seu gestor e pedir novas tarefas. Se essa conversa também não resolveu, está na hora de considerar: o quanto você está aprendendo nessa repetição de tarefas?


2. Parece estar exercendo muitas funções e não tem ninguém para pedir ajuda.

É natural ter cada vez mais responsabilidades no trabalho, isso é sinal que seus gestores confiam em você e nos resultados que está trazendo! O que não pode acontecer é TODAS as tarefas acabarem sob sua responsabilidade e eles nunca estarem disponíveis quando precisa tirar alguma dúvida.


3. Se esforça muito e não sente o reconhecimento no que faz.

É normal que você não tenha feedbacks constantes, mas ter pelos menos alguns é fundamental para seu desenvolvimento. Sejam boas ou ruins, as críticas devem ser construtivas o suficiente para servir como ponte para que alcance o potencial desejado. Se você acredita ter feito um bom trabalho e não recebe nenhuma devolutiva, é hora de falar com algum de seus gestores. Se isso também não funcionar, talvez seja hora de procurar outra coisa...


4. Está sempre irritado e arranja qualquer desculpa para não trabalhar.

Quando chegar ao trabalho não é animador e sair é a melhor parte do dia, é hora de repensar. Todo mundo tem dias ruins, certo? Mas se todo dia é uma tortura, você se irrita com qualquer coisa e sempre está passando o tempo com outras coisas, a situação é diferente. Uma relação assim não fará bem nem para você - que estará constantemente estressado -, nem para sua equipe -que não terá um funcionário 100% focado e engajado com as tarefas que realiza.



5. Acha que é hora de tentar novas oportunidades.

Parece que você já aprendeu tudo o que tinha pra aprender nesse lugar? Não sente que está crescendo e conversar já não funciona mais? Tudo bem! Procure outras vagas, converse com amigos da área e encontre algo que tem a sua cara.

Leia Mais >>

14 setembro 2018

14 setembro 2018

ABNT de A a Z

Se você ainda não usou, com toda certeza ainda vai usar as temidas normas ABNT na entrega de trabalhos acadêmicos. Mas não precisa ficar desesperado, estudante! A gente separou algumas dicas para te ajudar a organizar seu trabalho nesse formato. ;)


Criada para garantir uniformidade aos trabalhos, as normas ABNT seguem a seguinte estrutura:

-Elementos pré-textuais: composto por itens que funcionam como o primeiro contato que o público tem com seu trabalho. Nele estão:
1. Capa (com nome da instituição e do autor, título, número de volumes, local e ano)
2. Folha de rosto (com nome do autor, título, número de volumes, natureza, objetivo do trabalho, nome da instituição, área de concentração, nome do orientador, local e ano)
3. Folha de aprovação (deve conter os mesmos elementos que a folha de rosto, adicionando apenas a assinatura dos componentes da banca de aprovação)
4. Dedicatória
5. Agradecimentos
6. Epígrafe
7. Resumos em língua portuguesa e língua estrangeira
8. Listas
9. Sumário (seguindo alinhamento à esquerda e o título, em negrito e letras maiúsculas)

-Elementos textuais: a parte principal do trabalho, em que o autor mostra o desenvolvimento do assunto desde o problema que motivou sua investigação, descrevendo os processos de pesquisa, suas hipóteses e descobertas.
1. Introdução
2. Desenvolvimento
3. Conclusão


-Elementos pós-textuais: tudo o que vem após o desenvolvimento.
1. Referências bibliográficas
2. Glossário
3. Apêndices
4. Índices
5. Anexos



Outro ponto importante: as normas definem que o trabalho deve ser feito em folhas A4, com impressão somente em um dos lados e margem superior esquerda de 3 cm e inferior direita de 2 cm. Ah, o texto também deve ser impresso todo com tinta preta, apenas ilustrações, fotos e gráficos podem ser coloridos. Na hora da impressão, não esqueça de pedir encadernação com mola espiral e capas plásticas.


Paginar esse tipo de trabalho não precisa ser complicado! A dica para o sucesso é começar a contagem, sequencialmente, a partir da folha de rosto, mas apenas inserir os números na introdução, em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha.


O texto deve ser escrito em Arial ou Times New Roman, tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas e recuo de 1,25 cm no início de parágrafos. Em caso de citação direta e longa, a fonte deve ser tamanho 10 e recuo de 4 a 6 cm da margem esquerda.


Algumas palavras devem seguir o estilo especial, confira quais são:
1. As aspas devem ser usadas para destacar transcrições de textos
2. Itálico no destaque de palavras ou frases em língua estrangeira
3. Negrito para dar ênfase
4. Sublinhado para destacar links para materiais disponíveis na internet


Por último, as referências:
Na identificação de todos as obras e autores utilizados, esse modelo deve ser seguido:

SOBRENOME, Nome do Autor. Título: subtítulo. Cidade: Editora, Ano.

Leia Mais >>

06 setembro 2018

06 setembro 2018

A proatividade vai mudar sua rotina!


“Procuramos profissionais proativos para ajudar no desenvolvimento da empresa”: com certeza, você já deve ter ouvido alguma coisa parecida com isso em entrevistas de emprego, né? E o que, afinal, significa proatividade?
Essa qualidade está presente naquela pessoa que sempre parece ser a energia do trabalho em grupo, por exemplo, ou aquela que sempre dá várias ideias legais sobre tópicos diferentes.
Aqui entre nós: essa é uma característica que pode ser desenvolvida e até treinada. Ficou interessado? Então já pode começar anotando essas dicas, elas servem pra faculdade, escola, estágio, emprego e onde mais você quiser!


1. Saiba no que você é bom e no que pode melhorar.
Para isso, é necessário um pouco de autoconhecimento e sinceridade. Talvez você até tenha uma ideia de tarefas que consegue realizar muito bem, e nessa hora, vale ficar perto das pessoas que considera talentosas: quem sabe além de aprender algo novo, você ajuda um colega?


2. Organize suas tarefas.
No primeiro momento, talvez dê vontade de fazer tudo ao mesmo tempo, mas não é por aí, estudante. Tenha um lugar para anotar todas as tarefas, por dia, semana ou mês, o que preferir, e separe um pouco mais do tempo que acha necessário para realizá-las. Assim, se acontecer algum imprevisto, terá um tempo para contorná-lo.


3. Faça pausas produtivas.
Mesmo que você esteja com um tempinho sobrando e cansado do mesmo tema, não disperse totalmente. Quando você se envolve com o projeto, é mais fácil focar. Por isso, o melhor a fazer nessa hora é buscar outras referências e inspirações, assim, você se distraí um pouco e ainda encontra maneiras de melhorar o trabalho.


4. Tome a iniciativa.
A primeira regra da proatividade é antecipar soluções e entregar qualquer trabalho do melhor jeito que conseguir. Por isso, invista em atitudes que vão além do esperado.


5. Encare críticas como oportunidade de surpreender.
Nem sempre as coisas acontecem como o esperado, né? Mas não deixe que isso te desmotive. Aproveite para analisar a situação e aprender com os erros. Todo o feedback é importante para alcançar o máximo de seu potencial.


6. Por último: comemore todas as pequenas vitórias!
Afinal, você merece! Adquirir um hábito não é fácil, valorize o que fez até agora. O momento é de entender que cada etapa será mais fácil quando conseguir pegar a prática. ;)

Leia Mais >>