27 fevereiro 2018

27 fevereiro 2018

Os erros do currículo

Os dias que antecedem uma entrevista de emprego são marcados por muita ansiedade. O nosso psicológico (e, talvez, insegurança) tende a prever as piores hipóteses: pensamos que vai começar a chover na hora de sair de casa e molhar toda a roupa, que vamos gaguejar ao falar com o entrevistador ou que o café pode cair em cima do currículo.

É exatamente sobre esse último ponto que iremos falar hoje... Não sobre o café, mas o currículo e os "defeitos" que devemos evitar na hora de montá-lo. Então, já abre o arquivo pra poder dar uma corrigida ou conferir que está tudo certinho!

Selfie? Sai pra lá!



O começo do currículo precisa ter a sua apresentação profissional com nome completo, idade, e-mail, endereço, número pra contato... Mas, se você não trabalha com a sua imagem (sendo modelo, por exemplo), não precisa colocar uma foto sua: nem selfie, nem 3x4, nem foto do almoço de família no domingo. Isso não é relevante para a vaga. Combinado?

Não sei fazer isso, mas eu posso aprender!



Não precisa se envergonhar se você não possui um determinado tipo de conhecimento. Às vezes, isso não é o que mais importa para ser contratado. Por isso, não é necessário colocar no currículo as habilidades que ainda não tem experiência. Mas, na entrevista, deixe claro que está disposto a aprender e dar o seu melhor no novo desafio.

Sair do emprego é normal, se explicar no currículo não.



Confusões ou intrigas dentro da antiga empresa e qualquer outro tipo de problema não são nem um pouco cabíveis dentro do currículo. O porquê de você ter deixado seu antigo emprego ou de estar procurando um novo pode ser comentado na entrevista, se o recrutador perguntar. ;)

Entre 500.000,00 e 1.000.000,00



Calma, calma, calma! Não vamos colocar o burro na frente da carroça. Pensar em quanto você quer receber é muito normal, todo mundo faz isso. Você só deve especificar a sua pretensão de salário quando for um requisito da vaga. Nesse caso, é importante que o valor seja compatível com o seu nível profissional (estagiário, junior, pleno ou sênior) e com os valores de mercado. Geralmente, o cargo já possui um teto salarial.


Então, é isso! Essas foram algumas dicas para não pisar na casca de banana no momento de fazer seu CV e dar aquele leve deslize nas informações. Nossas próximas palavras são de incentivo e torcida: boa sorte!