14 agosto 2017

14 agosto 2017

Tutorial para estudar as matérias que você não gosta

Sabe aquela aula que, só de pensar em assisti-la, seu humor desaparece? Aquela que mesmo com esforço não entra em sua cabeça? Admita: você também tem uma matéria de que não gosta.

Por mais estudioso e focado que você esteja em seu curso, certos assuntos se transformam em um verdadeiro "calcanhar de Aquiles" na semana de provas. E tudo bem! O importante é saber virar o jogo e não deixar que essa dificuldade atrapalhe seus objetivos. Preparamos um tutorial exclusivo para você começar o 2º semestre do ano com outra perspectiva:

1- Esforce-se

Sua mente está programada para lembrar o que é mais interessante e divertido para você. Por isso, as matérias mais difíceis se transformam em barreiras para a memória: na hora de estudá-las, pratique a consciência de que, mesmo não gostando, entender esse assunto vai te trazer benefícios, como avançar na faculdade!

2- Engane seu cérebro

Parece brincadeira, mas não é: fingir que você gosta de uma disciplina pode ajudar! A mente tende a acreditar no que contamos a ela. Por isso, prestar o dobro de atenção nas aulas ou tentar mergulhar no assunto sem julgamentos podem ser indicativos para fazer a memória e o raciocínio funcionarem. Quanto mais você entende, mais você gosta.

3- Priorize a matéria

No cronograma de estudos, coloque esse assunto em primeiro lugar. Aproveite a carga reduzida das férias e empenhe-se em tirar a matéria de suas preocupações. Você pode dividir a maratona e estudar um pouco a cada dia. Sem pressão!

4- Encontre formatos diferentes

Muitas vezes, o jeito que a disciplina foi explicada para você em aula impossibilitou seu entendimento. Procure formatos diversos para que o estudo seja divertido, com vídeo, resumos, infográficos, filmes e outros. Cada um aprende da sua própria maneira, é só encontrar a sua.

5- Conte o que aprendeu como uma história

No final de cada lição, conte o que aprendeu como se fosse uma grande história. Pode ser para um amigo, para a família ou até para si mesmo no espelho. Explique exatamente da maneira que entendeu, sem esquecer dos pequenos detalhes, criando resumos se necessário. Nada de se apegar a trechos decorados. O que importa é a compreensão!