28 março 2016

28 março 2016

Quando o assunto é Zika Vírus, todo cuidado é pouco

Para levar mais informações aos alunos e a toda comunidade, algumas unidades da Anhanguera realizaram mutirões, palestras, distribuição de panfletos, vídeos educacionais e atividades de conscientização e prevenção, totalmente gratuitas.

Um dos eventos, que ocorreu na unidade Campo Grande, foi a palestra realizada por Rivaldo Venâncio Cunha, infectologista da Fundação Oswaldo Cruz, uma das maiores autoridades no assunto. Tivemos ainda a participação dos nossos estudantes de Fisioterapia e Enfermagem. “O objetivo é chamar a atenção da sociedade para o combate do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e o zika vírus”, afirma a diretora da unidade, Marlucy Xavier.

Para continuar esse trabalho, trazemos um artigo da nossa professora Heloisa Helena Fares, que é biomédica especialista em Análises Clínicas e dá aulas no curso de Enfermagem da unidade de Santo André. Ela explica um pouco mais sobre o surgimento do Zika Vírus. Boa leitura!

Zika: o ambiente e os micro-organismos

O Zika Vírus é uma infecção causada pelo vírus ZIKV, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue e da febre chikungunya.

Certos organismos migram de uma região para outra e as atividades humanas favorecem mudanças severas em cada ecossistema. Essa afirmação é plausível e cientificamente aceita para o surgimento de algumas patologias, que por meio de agentes facilitadores, penetram em nosso organismo, habitam nossas unidades morfofuncionais de vida, as células, e podem ser capazes de promover a desestabilização de uma sequência de eventos que culminam com o surgimento de novos seres vivos: as crianças.

Sim, o vírus Zica, ou partícula de RNA (Flavivirus) que, por anos, habitou a floresta de Uganda e que não causou mal aos animais silvestres que tiveram contato com a partícula microscópica por meio da picada de mosquitos, hoje amedronta os humanos.

Assim, nos registros da febre amarela e da dengue, mosquitos infectados por esse vírus migraram, atingiram novas populações e transmitiram ao homem a partícula, até então inofensiva. Para acarretar a situação, a presença do lixo (pneus, garrafas, vasos e plantas) constituíram verdadeiros criadouros do aedes aegypti, favorecendo a proliferação destes vetores e a difusão do vírus.

Necessitamos hoje entender o efeito transformador do Zica em nossas células; quais os fenômenos biológicos transformam o desenvolvimento neurológico dos embriões e que, em alguns casos, estão relacionados ao aparecimento da Síndrome de Guillen Barré.

Companhias trabalham incessantemente para o diagnóstico preciso e precoce da patologia enquanto os órgãos governamentais se mobilizam em coibir a proliferação. Estes esforços poderiam ter sido poupados se houvesse a consciência dos fenômenos que levam ao desequilíbrio ecológico.
Leia Mais >>

24 março 2016

24 março 2016

Vantagens de usar sua Inteligência Emocional

Não importa qual é a sua área: em todas elas, você vai ter que lidar com pessoas, e nem sempre em situações agradáveis. São nos momentos tensos que você deve ativar o botãozinho “Inteligência Emocional” e evitar que tudo piore. Mas o que é essa tal de Inteligência Emocional? Como saber se tenho? Pegue o seu bloquinho de notas, um cafezinho e se liga na breve explicação abaixo.


1 – Mas o que é Inteligência Emocional?




Ela é definida como a capacidade de conseguir identificar seus próprios sentimentos! Simplificando: a inteligência emocional está diretamente ligada a habilidades como motivar a si mesmo, controlar impulsos, praticar gratificação, manter o foco, incentivar pessoas ajudando-as a liberarem seus melhores talentos e conseguirem alcançar seus engajamentos objetivos de interesses comuns.

2 – Será que você tem essa qualidade?


Ficou no dilema se você tem Inteligência Emocional? Calma, vamos te ajudar a identificar isso. Responda as perguntas abaixo e, se o resultado for “sim” para tudo, significa que você possui essa qualidade! É generoso? Perdoa a si mesmo? Não cultiva rancores? Não busca a perfeição? É capaz de dizer “não”? Não se ofende facilmente? Conhece o seu lado mais frágil? Não desconta sua raiva em outras pessoas? Sabe descrever suas emoções com palavras precisas?

 3 – Você sabia que pode desenvolver a sua Inteligência Emocional?


Caso tenha respondido “não” para boa parte das perguntas, pode ficar tranquilo: é perfeitamente possível desenvolver a sua IE. Basta anotar as dicas abaixo e colocá-las em prática. Vamos lá? Sigas bons exemplos, seja compreensivo, não desista fácil, saiba escutar, trate bem as pessoas, ofereça e aceite ajuda, seja sincero e reconheça os acertos dos seus colegas.

4 – Por que usar essa habilidade? 


Fato: quem se relaciona bem tem mais chances de crescer na vida! Claro que outras competências são importantes, mas saber lidar com as emoções, falar “não”, motivar as pessoas e a si mesmo, focar no objetivo, são algumas características que as pessoas de sucesso têm. Por isso, você deve usar e abusar da sua Inteligência Emocional, seja no trabalho ou na faculdade. 

Fontes: Portal Exame, Giphy.
Leia Mais >>

17 março 2016

17 março 2016

Dicas para aperfeiçoar a sua carreira

O diploma é essencial para quem quer se dar bem na vida. Mas, se você deseja triplicar as suas chances de crescer no mercado de trabalho, é necessário se manter atualizado, já que a concorrência é cada vez maior. Os cursos e palestras, por exemplo, são aliados tanto para quem já possui experiência, como para quem está em busca do primeiro emprego. Por isso, atente-se as dicas abaixo e aumente as chances de ser um candidato admirável!



1 – Intercâmbio



As empresas valorizam muito quem faz intercâmbio cultural, pois é uma prova de que você é fluente ou manda muito bem em algum idioma. Sem contar que quem viaja tende a ser mais atencioso e conviver melhor com as diferenças das outras pessoas. Se as suas moedinhas não são suficientes para embarcar numa aventura dessas, procure viajar por períodos curtos, como um mês, para lugares mais baratos. Além de conhecer novas pessoas, costumes e relaxar, você vai ampliar o seu repertório de referências, e isso pode ajudá-lo no momento de solucionar problemas no trabalho.

2 – Estude por fora 



Tudo o que os professores ensinam na sala de aula é importante, mas é legal você fazer cursos e participar de palestras que tenham relações com a sua área. Para te incentivar nessa parte da sua formação existem as horas de atividades complementares que você deve apresentar no final da sua graduação. Quanto mais conhecimento você tiver, mais atrativo o seu currículo. 

3 – Seja voluntário



Sustentabilidade, trabalho social com crianças e idosos e defesa dos animais são algumas das causas que muitas empresas apoiam. Se você já fez ou tem vontade de fazer trabalho voluntário, a hora é agora! Mostrar que se importa com o mundo ao seu redor deixa claro o seu desejo de mudá-lo, e são pessoas com essa atitude que recebem destaque no mercado de trabalho. Mas só vale embarcar nessa jornada se você tiver a vontade bem definida em seu coraçãozinho, hein? 

4 – Canal Conecta



Além das sugestões acima, também é legal fazer o seu cadastro no Canal Conecta, em que é possível pegar muita dica bacana sobre o mercado de trabalho e ainda ter a chance de se candidatar para vagas de empresas como Apple, Google, Unilever, P&G, entre outras. Para ter essa chance, você precisa preencher todo o seu perfil e mantê-lo bem atualizo. Isso facilita a sua vida e a do empregador, pois a combinação entre vocês pode acontecer mais rápido. Essas foram as nossas dicas. Você tem alguma para compartilhar com a gente? Escreva nos comentários.

Fonte das imagens: Giphy
Leia Mais >>

03 março 2016

03 março 2016

Qual Engenharia é para mim?


Engenharia Civil, Elétrica, Mecânica ou da Computação? Tem a galera que já sabe o tipo de engenheiro que quer ser e tem o pessoal que está no dilema de qual área escolher. Por isso, fique atento às diferenças abaixo e vamos lá!


1 – Engenharia Civil 



Essa modalidade é responsável por projetar e gerenciar obras como prédios, casas, pontes, túneis, estradas, viadutos, barragens, usinas e diversos outros tipos de estruturas. Um engenheiro civil precisa acompanhar todas as fases de uma construção ou reforma, de olho no bem-estar das pessoas que vão usar essas facilidades. Também é importante pensar sempre no meio ambiente e de como as obras vão conversar com ele, É um curso para quem gosta de calcular e sempre se deu bem, na escola, em Física e Matemática.

2 – Engenharia Elétrica



Distribuir energia com segurança e qualidade é a tarefa do engenheiro elétrico! Indústrias, empresas de projetos e instalações, instituições científicas e geradoras de energia elétrica são algumas das áreas em que o profissional pode atuar. Desenvolver componentes eletroeletrônicos, operar e cuidar da manutenção de equipamentos em hospitais e clínicas e em projetos de instalações elétricas também são tarefas desse profissional. Habilidades como cálculos, trabalho em equipe e gosto por Física e Matemática também são essenciais para quem quer seguir essa profissão. 

3 – Engenharia Mecânica



Quem é curioso e interessado em tecnologia, pode assumir algumas dessas missões: projetar e desenvolver motores, veículos, máquinas e sistemas termodinâmicos para todo tipo de indústria. Além disso, o engenheiro mecânico também pode atuar em pesquisa de tecnologias de ponta, liderar equipes de produção e manutenção, promover o controle de qualidade e projetar usinas e fábricas.

4 – Engenharia da Computação



Projetar e construir computadores, periféricos e sistemas que fazem a integração entre hardware e softwares, desenvolver produtos para serviços de telecomunicações (como os que fazem a interligação entre redes de telefonia) e projetar e pesquisar produtos para serviços de telecomunicações são algumas das tarefas de quem cursa Engenharia da Computação. Se você curte tecnologia, tem facilidade para se comunicar e raciocínio lógico, talvez essa seja a sua opção.

Fonte das imagens: Giphy
Leia Mais >>