22 maio 2015

22 maio 2015

E-mail corporativo sem vexame: um guia prático

O mundo corporativo é cheio de peculiaridades que, por menores que pareçam, precisam ser levadas em consideração se a gente quiser se dar bem no trabalho! E muitas delas envolvem a utilização do e-mail da firma, que tem regras mais complexas do que a gente pensa. Mas não fique nervoso! Com estas dicas e um pouco de bom-senso, a gente sobrevive a mais um dia na selva do escritório:

Comece do começo: acerte o nome do interlocutor. Senão, a pessoa já começa a ler seu e-mail com má vontade.

Pressa não é desculpa para erros de português. Ative a ferramenta de revisão de texto e leia o que escreveu no fim, antes de enviar. Erros de ortografia e gramática fazem com que a pessoa perca o respeito na hora!

Educação é bom e todo mundo gosta. “Bom dia”, “por favor” e “obrigado” são o mínimo da educação – não só no e-mail, né?

Equilibre formalidade e informalidade. Reflita sobre seu interlocutor. Mandar “beijos” no fim para o diretor da empresa ou o cliente pode não pegar bem!

Seja objetivo! Nada de escrever o “Discurso do Método” sem necessidade.

Dê tempo para o outro responder. Ainda mais se estiver fora do horário de trabalho.

Nada de “gritos virtuais”. Excesso de exclamações e interrogações, letras maiúsculas, negritar, sublinhar... Deselegante!

Verifique atentamente os destinatários. Evite que mensagens confidenciais ou descabidas cheguem a mãos erradas.

Sem neurose. E-mail não foi feito para urgências! Checar e-mail toda hora é improdutivo.

Ah! E e-mail corporativo é... Corporativo! Reserve-o só para questões profissionais. As empresas podem monitorar – com todo o direito – o que você escreve nele. Inclusive as zoeiras com colegas e reclamações. Melhor deixar os links do Buzzfeed para o e-mail pessoal ;)

Para arrumar o emprego ou estágio que tanto procura e começar a colocar em prática essas dicas, acesse: www.canalconecta.com.br