12 dezembro 2014

12 dezembro 2014

Prática esportiva para crianças com deficiência

Alunos de Educação Física da Universidade Anhanguera de São Paulo estão ganhando destaque com um projeto muito bacana, que usa o esporte como elemento de mudança social. Desde fevereiro, eles promovem atividades esportivas com crianças e adolescentes deficientes visuais ou com uso limitado da visão.

Foram atendidos 40 crianças e jovens, entre 6 a 17 anos de idade, em escolas municipais, estaduais e particulares. Eles tiveram aulas de futebol, natação e goalball – modalidades paralímpicas – para estimular o desenvolvimento motor e a sociabilidade.

O projeto é patrocinado pela prefeitura de São Paulo e conta com a parceria da Alfabetização Solidária (AlfaSol) e do Programa UniSol. O grupo de alunos responsável pela iniciativa realizou uma pesquisa e agora analisa os avanços.

Ganhos expressivos. A interação no esporte ajudou as crianças a praticar cooperação, competição e respeito, promovendo diálogo e troca de experiências entre os estudantes universitários, o grupo de jovens e seus familiares.

Na última terça-feira (9), os jovens atendidos pelo projeto receberam certificados de participação em cerimônia na unidade Maria Cândida da Anhanguera.

“Nossos alunos colocaram seu aprendizado de sala de aula em prática, além de exercer a cidadania e o incentivo à inclusão social”, afirma o professor Edison Tresca, coordenador do curso de Educação Física da Universidade Anhanguera e do projeto.