04 dezembro 2014

04 dezembro 2014

Estudo de professores é destaque em congresso

Sabia que quase um quarto dos universitários sofre de pressão alta? A conclusão é de um estudo de duas professoras da Faculdade Anhanguera de Campinas – unidade 3, que será apresentado em um importante congresso de medicina no Rio de Janeiro (RJ). Feita com 292 estudantes voluntários, a pesquisa mostra que 22,2% dos universitários são hipertensos. Chocante, não? Afinal, somos tão jovens! A média de idade dos entrevistados era de apenas 29 anos.

As professoras da Anhanguera de Campinas, Priscila Sperling Cannavan e Simone Andery-Pinto, coordenadoras do Pronatec e do curso de Fisioterapia, respectivamente, começaram o estudo com o objetivo de descobrir os principais fatores de risco de morte súbita entre universitários.

Homens vs. mulheres. Entre as mulheres ouvidas (184), 14% tinham pressão arterial acima do ideal, 34,2% estavam acima do peso e apenas 30% praticavam algum tipo de atividade física. Para os homens (108), a situação era pior: apesar de 48% deles afirmarem fazer exercício rotineiramente, cerca de 60% estavam acima do peso e 36,5% tinham pressão arterial acima do normal.

Por isso, é importante acompanhar a sua saúde de perto para prevenir esse tipo de doença! Um simples check-up rápido no médico já pode detectar sintomas.

Apresentação no Congresso Nacional

O trabalho das professoras, intitulado “Prevalência de Fatores de Risco para a Morte Súbita em Estudantes Universitários”, será apresentado em 5 de dezembro, no XXXI Congresso Brasileiro de Arritmias Cardíacas, no Rio de Janeiro (RJ).