19 setembro 2017

19 setembro 2017

Pós-graduação depois da facul: vale a pena?

Muitos ex-estudantes, ao observarem o mercado profissional de suas áreas, querem se destacar para começar bem a carreira! É assim que surge o interesse na pós-graduação. Mas será que essa é a melhor opção?

Sim e não!

Tudo depende da direção que você quer levar sua carreira. Coaches, recrutadores e professores afirmam que uma pós-graduação não deve ser feita apenas para ser uma referência a mais em seu currículo. Algumas áreas valorizam mais a experiência profissional do que a quantidade de formações que você teve, já outras procuram trabalhadores com uma vasta gama de estudo.

O que deve ser considerado?

Embarcar em um curso logo depois da graduação é uma atitude a ser considerada calmamente. Horários, valores, objetivo e expectativas precisam estar alinhadas para não haver desânimo ou aquele arrependimento:

- Horários

Você já trabalha? Se sim, precisa encaixar o tempo de aula com a nova rotina. Por mais diferente que seja o ritmo comparado ao da faculdade, fazer a pós é assumir um compromisso: com você, com sua carreira e com seu bolso! Adicione nesse cronograma horas dedicadas aos estudos, aos trabalhos e pesquisas que serão solicitados.

- Valores

Se esse não for o momento certo para investir (novamente) nos estudos, você pode recorrer aos cursos livres (muitos deles gratuitos), workshops de fim de semana, palestras e outras experiências que contribuirão para sua vivência profissional! Enquanto isso, que tal criar uma poupança para garantir seus estudos em futuro próximo?

- Objetivo

Uma das grandes funções da pós-graduação é definir novos caminhos na carreira de um profissional. Alguns entram em uma especialização por curiosidade, por gostarem do assunto (mesmo que não converse com suas metas) ou para continuar atualizado. Vendo isso, é importante lembrar que o mercado está cada vez mais competitivo e que existem outras maneiras de saciar seus hobbies. Talvez seja o momento de focar no trabalho!

- Expectativas

O que você espera com uma pós? Subir de cargo ou aumentar seu salário não devem ser seu foco: muitas vezes, são os anos de experiência aliados com seu conhecimento aprofundado que trarão as mudanças que você gostaria. Por isso, tenha suas metas bem fundamentadas e tente adquirir o máximo de informações sobre o assunto estudado. Todo aprendizado pode ser reutilizado!

Vem ver todas as pós-graduações disponíveis em nossas unidades: http://bit.ly/2sXymuV
Leia Mais >>

19 setembro 2017

Como fazer um seminário nota 10

Você mal chegou na faculdade e o professor joga o desafio: um seminário para o semestre. Em algum momento você já ouviu falar desse tipo de trabalho, mas o que ele exige?

Relaxa! A gente pode te ajudar explicando o que é e como desenvolver esse formato. Olha só:


1. Junte o time

Por mais que passar tempo entre os amigos seja divertido, nossa sugestão é escolher aquele pessoal que combina com sua forma de estudo: os mais organizados, os mais criativos, aqueles empenhados, os super focados ou seja qual for seu jeito! Confiar nos membros da sua "equipe" é o primeiro passo para desenvolver um trabalho de nota máxima.

2. Saiba o tema

Assim que vocês receberem a tarefa, tire qualquer dúvida que ficou com o professor ou orientador. Não leve para casa uma questão que pode ser resolvida 5 minutos depois da aula, facilitando todo o desenvolvimento do projeto. Depois de saber o que vai ser preciso estudar, divida as tarefas entre os integrantes e mãos à obra!

3. Mergulhe na pesquisa

Nunca dependa de uma única fonte de pesquisa. Livros e artigos são sempre confiáveis, já os sites pedem uma verificação mais aprofundada do conteúdo. Para deixar o trabalho cada vez mais completo, é importante que todos os pontos de vista e vertentes sejam estudados até uma conclusão ser desenhada.

4. Simplifique e aprofunde

Reunidas todas as informações necessárias, é hora de juntar o grupo e decidir quais informações ficam e quais serão descartadas. Por mais completo que seu estudo seja, simplifique todas as explicações: uma pessoa que nunca ouviu falar desse assunto deve ser capaz de ler o trabalho e entender sobre o que se trata.

5. Crie a apresentação

O escolhido para apresentar o trabalho para a classe deve saber falar com clareza em público e conhecer bem o conteúdo. Até duas pessoas podem dividir essa tarefa, se o conteúdo for longo, por exemplo. Como apoio, slides minimalistas, visuais e intuitivos ajudam (e muito) o entendimento de quem está assistindo. Dica: não deixe esse planejamento para a última hora!

Viu? Não é tão difícil assim. ☺ Para mais dicas, acompanhe o blog!
Leia Mais >>

13 setembro 2017

13 setembro 2017

Cronograma de férias: veja como montar o seu!

Para quem está acostumado a planejar os estudos toda semana, a rotina não deve ser muito diferente durante as férias de julho. Nesse mês de sossego, dá para equilibrar diversão e estudos sem que os deveres pesem na balança. Vamos começar?



1. Descanse!

Antes de qualquer estudo, tire a primeira semana para colocar todo o sono acumulado em dia. Aproveite o ócio e deixe a mente divagar: esse momento é importante para o cérebro repor energias para um semestre mais criativo. Por alguns dias, pratique a arte de não pensar em nada!

2. Arrume seu material

Sabe aquele cantinho de estudo que guarda todos os livros e revisões acumuladas nos últimos meses? E a mochila, que guarda os segredos e artefatos de todas as matérias do ano, até aquelas que você não se lembra mais? Separe um dia para limpar e organizar tudo, jogando fora o que não serve mais e guardando o que pode ser reaproveitado. Nesse processo, você pode até se deparar com assuntos que esqueceu de estudar antes!

3. Organize o tempo

O cronograma deve ser mais leve que o da rotina normal. Ao invés de estudar todos os dias da semana, intercale com dias livres e não passe mais de 4h fazendo a mesma atividade. Ainda que as férias sejam uma ótima oportunidade de correr atrás do estudo perdido, não se esqueça de deixar a mente relaxar. Lembre-se: intercale metas!

4. Leia livros e assista filme

Além de ser uma distração divertida, muitos livros e filmes podem contar histórias importantes para as matérias que têm estudado. Assim, além de revisitar a matéria de um jeito diferente, você pode preencher seu vocabulário com palavras novas e fixá-las na cabeça.

5. Divirta-se com os amigos

Tempo entre aqueles que te entendem é fundamental para a cabeça de um estudante focado. Estar entre amigos ajuda o cérebro a ter força e auto-estima para continuar aprendendo, então nada de trocar um encontro com a galera por aquela matéria. Diversão entra no cronograma também!

Estudante, use e abuse de seu tempo livre nas férias sem deixar a peteca dos estudos cair. Logo logo, o novo semestre chega à mil! :O
Leia Mais >>

13 setembro 2017

5 jeitos de turbinar o estudo a distância!

Todo mundo sabe que estudar a distância não quer dizer "ficar na moleza". Pelo contrário: sem a obrigação diária de ir a faculdade, o foco nos estudos depende exclusivamente da organização do aluno.

Com rotina, aulas online, trabalhos e atividades pessoais, é normal precisar de motivação para continuar seguindo em frente. Essas são dicas para não deixar a peteca (ou as notas) caírem no final de semestre:

1. Organize seu tempo

É a primeira atitude a ser tomada. Marque em um calendário ou agenda todos os seus horários fixos, como entrada e saída do trabalho, tempo no transporte para casa, aulas extra e compromissos semanais. No meio disso tudo, destaque o tempo livre e distribua obrigações a partir do que você tem. Não se esqueça de separar um ou dois dias de descanso! :P

2. Aproveite as ferramentas

Um dos benefícios de escolher o ensino a distância, além da flexibilidade, é a quantidade de ferramentas disponíveis para melhorar a experiência de aprendizado. Nesse pacote, você inclui vídeos explicativos, exercícios online com correção, aplicativos, fóruns, salas virtuais, acesso ao material completo e contato direto com tutores e professores. Use de tudo!

3. Não fique com dúvidas

Você pode solucionar suas perguntas durante as aulas ao vivo no polo enviando-as para os professores ou juntar uma lista de questionamentos para discutir com tutores e colegas de classe. Antes disso, pesquisar pelos livros e anotações a resposta para seu problema pode facilitar o processo. Nunca tenha vergonha de não saber: você tem assistência monitorada para isso.

4. Conheça seus colegas e professores

Não é só nas faculdades presenciais e campus universitários que é possível ter amigos dentro da turma. Use os fóruns, grupos e redes sociais para conhecer melhor quem está do seu lado nessa jornada, dividindo perguntas, estudando junto e compartilhando descobertas.

5. Siga o cronograma de atividades

Se sua rotina permitir que você tenha a frequência de estudos proposta pela faculdade, parte do problema de organização estará solucionado! Não deixe para depois o exercício ou trabalho que você pode resolver naquele momento, logo depois de estudar o mesmo tópico, por exemplo. Além de treinar o que aprendeu, você estará em dia com suas obrigações. :)
Leia Mais >>

11 setembro 2017

11 setembro 2017

Conheça os diferentes tipos de trabalho!

Uma das coisas que todo profissional precisa entender são os vários modelos de contratação possíveis na legislação brasileira. Independentemente da sua formação, pode ser que em algum momento da vida você seja contratado por um desses sistemas, ou opte por ser autônomo.

Para entender melhor, juntamos os formatos mais comuns de contratação que você encontrará por aí:

1. Formal

O modelo se encaixa na CLT, a Confederação de Leis Trabalhistas. Isso significa que tem carteira de trabalho assinada e vários benefícios, como vale refeição, transporte, férias e 13º no fim do ano. O salário é mensal e pode ser comprovado por holerites. Funcionários de empresas e alguns trabalhadores concursados se encaixam nessa categoria.

2. Autônomo

É aquele que presta serviço por conta própria como pessoa jurídica. Geralmente são especializados em algum segmento como Microempreendedores Individuais (chamado de MEI), garantindo direitos como a previdência social, por exemplo. Profissionais liberais como médicos, advogados, dentistas e engenheiros normalmente trabalham nesse formato.

3. Voluntário

Recomendado para todas as áreas, níveis de escolaridade e idade, ser um voluntário é ajudar instituições sem fins lucrativos, igrejas e ONGs de forma integral ou parcial sem receber nada em troca. O apoio a causas sociais é bem visto no mercado de trabalho. Além disso, você pode começar a sua carreira fazendo algum trabalho voluntários que tenha relação com a sua área.

4. Freelancer

Comunicadores, analistas, artistas e designers são os que mais usam esse formato. Como a demanda é temporária e o custo é mais alto, o profissional trabalha para uma empresa ou instituição por um período de tempo fechado ou para um projeto específico. Esses profissionais também costumam atuar como autônomos, no formato de MEI ou de microempresas.

Conhecer as modalidades de trabalho é entender quais são os seus direitos e seus deveres legais, algo essencial para todo profissional comprometido.
Leia Mais >>